15 de outubro de 2013 – Dia Mundial da Higienização das Mãos

Já lavou as suas mãos hoje?

maos

Anúncios

1 de dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Sida

A SIDA (Síndroma de Imunodeficiência Adquirida) é uma doença para a qual, por enquanto, não existe cura, nem vacina.

É IMPORTANTE QUE SAIBAS QUE A SIDA NÃO SE TRANSMITE:

  • Pelo convívio entre os amigos;
  • Pelo aperto de mão ou pelo abraço;
  • Pelos talheres ou loiça que usas no refeitório;
  • Através das casas de banho.

Os indivíduos seropositivos ou indivíduos infetados têm direito, como qualquer cidadão:

  • À escola;
  • Ao convívio;
  • À amizade.

E SOBRETUDO, NECESSITAM, MAIS DO QUE NUNCA, DE:

  • Solidariedade;
  • Apoio e compreensão;
  • De ajuda, para não se sentirem marginalizados.

É IMPORTANTE QUE SAIBAS QUE A SIDA SE PODE TRANSMITIR, SE ADOTARES COMPORTAMENTOS DE RISCO, OU SEJA:

  • Através de relações sexuais não protegidas;
  • Na partilha de agulhas e seringas sobretudo as utilizadas pelos toxicodependentes;
  • No contato com sangue infetado, sempre que este penetre através da pele e mucosas.

(In Ministério da Educação, Programa de Promoção e Educação para a Saúde)

Março de 2013

“Os dados disponíveis nos finais de Fevereiro indicavam que em 2012 teriam sido notificadas mil pessoas. Em 2011, os dados, que são mais consistentes, apontavam para 1.355 pessoas”, disse o diretor do Programa Nacional VIH/Sida (António Diniz), que considera que se está perante “uma descida significativa” face a 2011. Contudo,  este  ressalta que aos mil novos casos devem ser somados as “notificações atrasadas” que ainda não deram entrada no sistema. Entre 1983 e 2013 foram notificados oficialmente como portadores da infeção VIH/sida cerca de 43 mil pessoas.

António Diniz diz ainda que “a forma mais prática, mais barata de impedir a transmissão da doença, nomeadamente por via sexual, a que predomina largamente em Portugal, é através da utilização do preservativo”.

“A segunda forma é que as pessoas que já estão infetadas saibam o mais precocemente possível o seu diagnóstico”, que lhes permite aceder aos cuidados de saúde o mais cedo possível e tornarem-se “menos um foco da transmissão da infeção”.

A terceira forma diz respeito a quem já necessita de fazer o tratamento, que constitui uma forma de diminuir a infeção.

Adaptado de http://www.materfarma.com/info/ver_pagina.php?tab=lista_noticias&id=137, consultado em 31-03-2013

Entre a vida

E a sida

Apenas uma letra de diferença.

Entre a sorte

E a morte

Uma letra

Também.

Maldita ortografia!

Dr. Telo de Morais

17 de novembro – Dia Mundial do Não Fumador

Ao comemorar o dia Mundial do Não Fumador pretende-se chamar a atenção para a necessidade de adotar hábitos de vida saudáveis e alertar para os malefícios do tabaco incentivando todos aqueles que fumam a deixar de o fazer.

Campanha 2011

Fumar é algo que não deves fazer. Para além de arruinar a saúde, o seu consumo prejudica a inteligência e a beleza.

Os pulmões são seriamente afetados pelo fumo do tabaco. Os fumadores arriscam-se a desenvolver cancro nos pulmões, o que pode levar à morte. Além disso fumar deixa as pessoas mais cansadas e menos aptas para a prática de atividade física. A pele fica baça e enrugada, o cabelo e as unhas enfraquecem devido ao consumo do tabaco. Os dentes ficam fracos e escuros. E o hálito? Blhac!
Não deves experimentar fumar só porque os outros o fazem. És um(a) jovem inteligente que sabe o que quer e o que não quer. Não te iludas pensando que vai ser só um cigarro de vez em quando, porque a nicotina vicia…
Para além disso, os vícios são caros e deves ter coisas bem mais interessantes em que gastar o teu dinheiro. Os cigarros abrem caminho para outras drogas muito mais perigosas, cujo consumo termina, muitas vezes, na morte, após anos e anos de sofrimento.

14 de novembro – Dia Mundial da Diabetes.

A celebração do Dia Mundial da Diabetes tem como finalidade primária chamar a atenção das entidades oficiais, dos profissionais de saúde, da comunicação social e da comunidade em geral para a problemática da Diabetes Mellitus.

A Diabetes atinge mais de 371 milhões de pessoas em todo o mundo, correspondendo a 8,3% da população mundial e continua a aumentar em todos os países. Em mais de 50% destas pessoas, a diabetes não foi ainda diagnosticada, prosseguindo a sua evolução silenciosa.

Em 2012 a Diabetes matou 4,8 milhões de pessoas, metade das quais tinham menos de 60 anos. Estima-se que em 2030 o número de pessoas com Diabetes no mundo atinja os 552 milhões, o que representa um aumento de 49% da população atingida pela doença.

Portugal posiciona-se entre os países Europeus que registam uma mais elevada taxa de prevalência da Diabetes.

Fonte: International Diabetes Federation (IDF), IDF Diabetes, Atlas, 2012 (in http://www.spd.pt/images/ond2013.pdf)

A Diabetes Mellitus é uma perturbação em que os valores sanguíneos de glicose (um açúcar simples) são anormalmente altos.

O aumento da esperança de vida, conseguido através do desenvolvimento em geral e do progresso das ciências da saúde, em particular, deu origem a uma maior prevalência de doenças crónicas. A diabetes é uma destas doenças sem cura conhecida e uma das causas mais importantes de morbilidade e de mortalidade. Complicações graves, extremas, incluem problemas cardiovasculares, hipertensão, insuficiência renal, cegueira e amputação.

Causas

A insulina, uma hormona produzida pelo pâncreas, é a principal substância responsável pela manutenção dos valores adequados de glicose no sangue. A diabetes manifesta-se quando o corpo não produz a quantidade suficiente de insulina para que os valores sanguíneos de glicose se mantenham normais ou quando as células não respondem adequadamente à insulina.

Na Diabetes Mellitus tipo I (diabetes insulinodependente), a produção de insulina é escassa ou nula, devido à destruição das células beta (células ß) do pâncreas. A maior parte dos doentes desenvolvem a doença antes dos 30 anos, aparecendo com maior frequência nas crianças e nos jovens podendo, no entanto, também aparecer em adultos e até em idosos. Os doentes necessitam de uma terapêutica com insulina para toda a vida (insulinoterapia), porque o pâncreas deixa de a produzir, devendo ser acompanhados em permanência pelo médico e outros profissionais de saúde.

A causa da diabetes do tipo 1 é a falta de insulina e não está diretamente relacionada com hábitos de vida ou de alimentação errados, ao contrário do que acontece na diabetes tipo II.

Na Diabetes Mellitus tipo 2 (diabetes não insulinodependente), o pâncreas continua a produzir insulina, embora de forma relativamente deficiente, mas as células do orga­nismo oferecem resistência à ação da insulina. Este tipo de diabetes aparece mais frequentemente em adultos e o seu tratamento, na maioria dos casos, consiste na adoção de uma dieta alimentar que ajude a normalizar os valores de glicose no sangue. Recomenda-se também a atividade física regular.

Sintomas

Os primeiros sintomas da diabetes relacionam-se com os efeitos diretos da alta concentração de glicose no sangue. São:

  • Sede excessiva
  • Aumento do volume de urina
  • Aumento do número de micções
  • Fadiga, fraqueza, tonturas
  • Visão turva
  • Aumento de apetite
  • Perda de peso

Estes sintomas tendem a agravar-se progressivamente. E podem levar a complicações severas (cetoacidose diabética e coma hiperosmolar, por exemplo).

Sintomas frequentes

Uma alimentação saudável ajudar a prevenir a diabetes.

O tratamento do doente com diabetes Mellitus envolve pelo menos quatro aspetos importantes:

  • Plano alimentar
  • Atividade física
  • Medicamentos hipoglicemiantes orais
  • Rastreio

    Sob a forma injetável, a insulina é o medicamento fundamental para o tratamento da diabetes Mellitus do tipo I

(Adaptado de Grande Enciclopédia Médica “Saúde da Família”, volume 4)

complicações diabetes

Tratamento da Diabetes tipo 1

As pessoas com Diabetes tipo 1 podem ter uma vida saudável, plena e sem grandes limitações.

Para tal é necessário fazerem o tratamento adequado. O tratamento engloba:

1 – Insulina

2 – Alimentação

3 – Exercício físico

4 – Educação da Pessoa com Diabetes, onde está englobada a autovigilância e o autocontrolo da diabetes através de glicemias efetuados diariamente e que permitem o ajuste da dose de insulina, da alimentação e da atividade física.

Em termos práticos, a alimentação aumenta o açúcar no sangue (glicemia), enquanto a insulina e o exercício físico a diminuem. O bom controlo da diabetes resulta, assim, do balanço entre estes três fatores.

Os testes feitos diariamente (autovigilância) informam as pessoas com diabetes se o açúcar no sangue está elevado, baixo ou normal e permitem-lhe adaptar (autocontrolo), se necessário, os outros elementos do tratamento (alimentação / insulina / exercício físico).

diabetes 1 jovens

Tratamento da Diabetes tipo 2

O primeiro passo no tratamento da Diabetes tipo 2 é o mais importante e implica uma adaptação naquilo que se come e quando se come e na atividade física que se efetua diariamente (o exercício regular – até o andar a pé -, permite que o organismo aproveite melhor o açúcar que tem em circulação). Muitas vezes, este primeiro passo, com a eventual perda de peso se este for excessivo, é o suficiente para manter a Diabetes controlada (pelo menos durante algum tempo… que pode ser de muitos anos).

(in http://www.spd.pt/images/ond2013.pdf)

Diabetes Gestacional

A Diabetes Gestacional (DG) corresponde a qualquer grau de anomalia do metabolismo da glicose documentado, pela primeira vez, durante a gravidez.

O controlo dos níveis de glicose no sangue materno reduz significativamente o risco para o recém-nascido. Pelo contrário, o aumento do nível de glicose materna pode resultar em complicações para o recém-nascido, nomeadamente macrossomia (tamanho excessivo do bebé), traumatismo de parto, hipoglicemia e icterícia. As mulheres que tiveram Diabetes Gestacional apresentam um risco aumentado de desenvolver Diabetes tipo 2 em anos posteriores. A Diabetes Gestacional está também associada a um risco aumentado de obesidade e de perturbações do metabolismo da glicose durante a infância e a vida adulta dos descendentes.

Olá!

Olá!

Estamos contentes por te encontrar. Estás a crescer, parece que estás a mudar. Além de cresceres, simplesmente em altura e peso, também te transformas. Descobres, por vezes, sensações novas e diferentes que te perturbam. Porquê? É assim que os rapazes se fazem homens e as raparigas mulheres.

É altura de conjugar esforços e partilhar contigo os nossos saberes e experiências para responder a algumas das perguntas que colocas a ti próprio e ajudar-te a CRESCER…