O amor não se encomenda, por favor queria um amor para levar.

É preciso… aprender, esperar, dar, receber, partilhar, construir, apreciar.”

O que são relações sexuais e qual a idade para as iniciar?

A maioria das pessoas chama relação sexual à relação em que existe penetração do pénis na vagina.

As relações sexuais são uma das formas de expressar a sexualidade. Não existe uma idade, uma hora ou um espaço indicado ou aconselhado. Se entre amigos e amigas alguém teve a sua primeira relação sexual, isso não significa que tenhas que fazer o mesmo. O importante é perceber que esse início depende da vontade, da decisão de cada pessoa e da informação que te permita viver as relações sexuais e a sexualidade de uma maneira saudável e responsável.

Tal como no crescimento, não existem regras fixas para que as coisas aconteçam.
Cada pessoa tem o seu próprio ritmo e a sua maneira de viver a sexualidade.

A 1ª vez…

Quando se pensa em iniciar as relações sexuais deve ter-se em conta o desejo e a responsabilidade.

Desejo no sentido de ser algo que se quer, de ser uma decisão que é nossa e que deve ser pensada.

Responsabilidade porque ter relações sexuais implica: prazer, estar com o outro, afeto, intimidade, partilha, excitação, euforia, medo do desconhecido e também proteção, respeito por nós e pelo outro.

O prazer nem sempre está presente na 1ª relação sexual. Tomas todas as precauções: não vai estar ninguém em casa, já falaram sobre a 1ª vez, falaram sobre os métodos contracetivos, os preservativos estão à mão…

Mas, mesmo assim a ansiedade está lá. Não conhecem bem o corpo um do outro, aquilo que ela/ele gosta, aquilo que a/o excita. Uma relação de confiança, em que se comunica, vai permitir aos dois parceiros mostrar o que se gosta… O prazer é uma aprendizagem, sobretudo a dois. Não é inato nem cai do céu. Para aprender é útil (e agradável) explorar o próprio corpo, o corpo do outro e estar atento/a aos seus desejos.

Sabias que… para atingir o prazer, a penetração não é a única via. Os preliminares, as carícias, os beijos são outras tantas  fontes de prazer para aqueles/as que preferem esperar. Aliás, até para os outros…

Coisas a falar… antes, durante e depois

Relação

O que significa para os dois fazer amor?

Compromisso

Será que fazer amor vai mudar alguma coisa entre vós?

Limites

Será que cada um vai respeitar o direito do outro de querer ou não querer ter relações sexuais?

Se alguma coisa desagradar a um, vai falar sobre isso com o outro e, em conjunto, tentam resolver o problema?

Segurança-Responsabilidade

Estão os dois informados sobre sexo seguro?

Pensam na hipótese de uma possível gravidez?

Quem é responsável pela contraceção?

As dúvidas…

O que é o hímen?

O hímen é uma membrana que cobre parcialmente a entrada do canal vaginal; pode apresentar várias formas e ser mais ou menos elástico.

Está associado à perda de sangue na primeira relação sexual?

Existem mulheres que nascem sem hímen. Por isso, numa primeira relação sexual:

– o hímen pode não romper;

– o hímen pode romper e não sangrar;

– há mulheres que sangram e outras não.

Será que faz doer?

Esta é uma pergunta que (quase) todas as raparigas colocam.

A dor na primeira relação sexual tem origem, a maior parte das vezes, na ansiedade relacionada com a primeira vez e não no rompimento do hímen. O hímen é uma pele com poucas terminações nervosas, por isso, pouco sensível.
Normalmente, o seu rompimento não implica dor. Aliás falar de “rotura” dá uma ideia falsa, pois na verdade esta membrana fina e flexível apenas cobre parcialmente a entrada da vagina. São os medos que produzem tensão e rigidez dos músculos que conduzem à dor.

Medos…

… do que não se conhece;

… do que é diferente;

… de não agradar;

… de não gostar;

… que doa;

… de uma gravidez;

… de contrair uma IST;

… de não ser capaz.

A “virgindade” é um assunto feminino?

Por razões culturais, a virgindade foi sendo valorizada como se fosse um dos valores mais importantes numa rapariga.

Ainda hoje as pressões sociais se fazem sentir de maneiras diferentes em relação aos comportamentos sexuais femininos e masculinos, encorajando os homens a ter um papel ativo, a tomarem iniciativas, a fazerem experiências, e penalizando, de várias formas todos estes comportamentos quando são assumidos pelas mulheres. É urgente acabarmos com este duplo padrão de comportamento que gera angústias e conflitos tanto nos rapazes como nas raparigas. Virgindade nada diz sobre o carácter de uma pessoa, sobre a sua honra ou a sua dignidade.

Começar a ter relações sexuais não é uma decisão fácil; tem de se pensar num monte de coisas. É uma nova etapa da vida.

As dúvidas acerca da primeira relação sexual estão muito associadas a ansiedades femininas, os medos e ansiedades também existem para os rapazes: o medo de não agradar ao outro, o medo de não conseguir ter uma ereção, o medo…

Mitos

Não se engravida na primeira relação sexual

Falso.

Desde que haja possibilidade de algum esperma entrar na vagina, há possibilidade de engravidar. Daí a importância de uma informação atempada (antes da 1ª relação) sobre contraceção e proteção das IST.

Não se contraem Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST) na primeira relação sexual.

Falso

Em qualquer relação sexual se pode contrair uma IST desde que um dos parceiros esteja infetado e a relação sexual não seja protegida. Para evitar que um bom momento se transforme num problema é fundamental o uso do preservativo.

Bibliografia consultada
Frade, A.; Lamas, D. (1995). Crescer. Lisboa: Associação para o planeamento da família.
APF; SAÚDE XXI (2005). A 1ª vez. Lisboa: Alfaprint
http://juventude.gov.pt/FAQ/SaudeSexualidadeJuvenil/Paginas/Resposta_6.aspx , acedido em 19-10-2011
http://www.apf.pt/?area=003&mid=005&sid=001 ,  acedido em 19-10-2011

Lamas, D.; Marques, R. & Woodcock, C. (coord.) (2007). Rapazes. Lisboa: APF, p.24 e 28.

A primeira vez que se tem relações sexuais é um momento especial.  O sexteen partilha algumas opiniões e ajuda a perceber o que acontece – Vê mais em:  http://ensina.rtp.pt/artigo/a-primeira-vez/#sthash.dKfoeZLN.dpuf

Verdadeiro ou falso

“Não me pode acontecer nada… raramente tenho relações sexuais.”

Falso. Uma única relação sexual é suficiente para ficares grávida e/ou contraíres uma infeção sexualmente transmissível.

“Uma rapariga que toma pílula ou que usa preservativos é uma Maria vai com todos”

Falso. O facto de se usar contraceção não significa que se tem relações sexuais não importa com quem. Isso significa que te respeitas e que preferes prevenir em vez de remediar. Algumas raparigas usam a pílula por razões médicas.

“Se falo com o meu namorado, vou deitar tudo a perder.”

Falso. Se existe coisa que mata o romantismo, é o medo… da gravidez ou de contrair uma infeção, por exemplo. Se falares antes, ficas menos ansiosa depois.

Adaptado de Vilar, D.; Reis, I. & Pacheco, J. (rev.) (s/data). Raparigas. Lisboa: APF, p.24.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s